Nazi Lauck NSDAP/AO Portugues Boletim de Noticias NS 100-11 . . .

Nazi Lauck NSDAP/AO

Boletim de Notícias NS

do NSDAP/AO - Internet-Edição em Português #100/11

Preço da assinatura do Boletim de Notícias NS é de US$30.00 por 12 números. Se possível, por favor, responde (escreva.) em alemão ou inglês, para que haja uma resposta mais rápida.

Voluntários para cooperarem serão muito bem vindos. Conhecimento de alemão ou inglês- para permitir a comunicação e tradução em uma terceira língua - é requerido.

O NSDAP/AO publica DEZ jornais. Um exemplar gratuito, de qualquer uma das edições, será enviado a quem desejar. (Cada jornal contém uma enorme lista de preços de livros, bandeiras, insígnias, braçadeiras, posters, fitas cassetes, e muitos outros materiais de propaganda.) Para contactar-nos escreva para: NSDAP/AO, P.O. Box 6414, Lincoln, NE 68506 USA.

Editorial:

Juntos Somos Fortes

pelo líder do NSDAP/AO Gerhard Lauck

Camaradas Nacional Socialistas!

Nossa raça branca enfrenta, talvez, a mais difícil batalha pela sobrevivência de sua história. Digo isto por várias razoês. Primeiro, estamos-nos tornando minoria no planeta Terra. Segundo, (e pior), a nossa terra natal que sempre foi branca, hoje está sofrendo com as terríveis invasões de povos não-brancos devido o problema da imigração. (É no caso de São Paulo e estados do sul brasileiro, o grave problema da migração interna, de povos do norte, nordeste e centro-oeste emigrando para os estados brancos do sul.). Terceiro, o próprio governo das nações brancas está promovendo o extermínio racial de sua própria espécia. Quatro, nossos próprios camaradas raciais estão com suas cabeças feitas para aceitar e até ajudar o genocídio anti-branco. Portanto, a falta de resistência é outra ameaça, o que poderá ocasionar na morte e destruição da raca branca atravéz da mistura de raças, em bases global!

Nacional Socialistas!

Já é tempo de todo homem, mulher e criança branca despertar e fazer todo possível para promover a resistência branca. Só há um remédio contra a doença do liberalismo judeu e a degeneração racial, este remédio chama-se Nacional-Socialismo!

Há muito tempo, pequenos grupos e até Nacional Socialistas individuais estiveram sozinhos e isolados e consequentemente frustrados e desesperados em face ao massivo ataque inimigo de todos os lados: Governo, mídia, finanças, educação e até mesmo religião.

Agora é hora de todo Nacional Socialista- em todo mundo- unir-se e ajudar-nos uns aos outros em tudo possível., e formar uma resistência global contra um inimigo global; e não apenas uma ajuda com palavras e sim concreta.

É por isso que o NSDAP/AO normalmente publica Jornais NS em quatro línguas e porque nós queremos expandir este programa ainda mais... Por difíceis 20 anos o NSDAP/AO vem espalhando sua propaganda, extremamente necessário aos nossos camaradas da Alemanha ocupada.

Agora queremos espalhar nossas publicações e propagandas, em todo mundo.

Nossa performance do passado já diz tudo. Podemos fazer muito atravéz da publicidade, e promover o Nacional Socialismo em vários Países. Entretanto não podemos substituir os combatentes, podemos só aj u dá-los!

Se você é um combatente, um ativista e está disposto a trabalhar e sacrificar-se para ajudar o movimento National Socialista em SEU País, ai então você poderá ’ajudar-nos a ajudá-los’. Mais precisamente você deverá ajudar-nos a criar a arma propagandística que você e seus compatriotas precisam para divulgar o Nacional Socialismo em sua Nação.

Você não precisa gastar milhares de dólares para imprimir materiais... e depoís temer pela repressão do governo quando capturá-los. Nós temos todo equipamento e gráfica e ficaremos felizes em deixá-los à sua disposição. Mas nós precisamos de sua ajuda: 1) Escrever artigos 2) Traduzir artigos 3) Distribuir propaganda 4) Possível assistência nas importações 5) Cobrindo por último, um porcentagem dos custos da produção. (abaixo do custo.)

Uma coisa é certa: Você pode realizar muito mais com nossa ajuda do que sem ela. Homem a homem, hora a hora, dólar a dólar, seu esforço irá produzir resultados mais concretos do que permanecer sozinho. Pergunte aos nossos camaradas na Alemanha, Hungria, Suécia e outros países.

Recentemente recebemos, no mesmo dia- cartas de camaradas de 3 diferentes países, que diziam quase que a mesma coisa: Ótimo que vocês tenham jornais em quatro idiomas, mas quando vocês publicarão uma edição em MEU idioma? Aqui esta ela - e sua - chance!

Junte-se a nós! E você fará parte de uma comunidade internacional Nacional Socialista de lutadores e ativistas experientes, organizados e dedicados. Você ajudará a distribuir uma propaganda sem precedentes desde 1945 e ajudará a chegar-mos à vitória Nacional Socialista, em todas partes do mundo o movimento Nacional Socialista esta se fortificando e unificando-se, e você deve ajudá-lo também em seu País, agora é a hora.

Nacional Socialistas!

Estamos ao seu lado. Estamos prontos para a luta. Juntos somos fortes. Junte-se você também.

Heil Hitler!

- Boletim de Notícias NS #1

Quem foi Adolf Hitler?

por Michael Storm

Nosso Fuehrer Adolf Hitler foi um homem muito prendado. Ele desempenhou muitos papéis extremamente árduos, incluíndo líder militar, líder político e construtor, para citar apenas alguns. Ao meu ver, o papel reconhecido com mais freqiiência, isto é – líder militar - não foi o verdadeiro homem interior. Quando ele empreendeu a tarefa com toda sua energia, isto não foi seu chamamento interior. (Por exemplo, ele recusou converter a economia alemã para a guerra total até fins de 1943, e o recrutamento de mulheres alemãs no esforço de guerra 1944, porque ele esperava acabar com êxito a guerra sem ter de reverter o curso da sua vida.) Embora ele fosse certamente um líder político verdadeiramente prendado e dinâmico estadista, havia regras exteriores que ainda não satisfaziam o homem interior. Após a crise de inverno na frente oriental, assistiu-se ao papel de líder militar que o Fuehrer foi forçado a assumir.

A essência interior de Adolf Hitler, visível ao longo de toda sua vida, é a de um construtor. É o propósito do artigo de aniversário deste ano examinar este fato. Contrariamente a imagem negativa, dos meios de comunicação judaicos, de nosso bem amado Fuehrer, ele foi o líder mais positivo e construtivo na história.

Quando garoto, ele queria ser um pintor. E até mesmo conseguiu se sustentar como um artista quando jovem. Contudo, não foi senão quando ele se matriculou na universidade em Viena que ele descobriu sua verdadeira vocação. O instituto artístico recusou sua solicitação, o que o entristeceu profundamente. Mas, disseram-lhe que seu futuro repousava no campo da arquitetura, e que ele deveria dedicar-se a este campo.

No decurso de sua existència, Adolf Hitler projetou casas, edifícios, estádios, pontes, bairros operários e cidades inteiras. Cada projeto levava a marca de sua personalidade mais íntima. Coube a Albert Speer, como arquiteto chefe do Reich tomar idéias, esbôços, plantas e modelos do Fuehrer e transformá-los em realidade. Trabalhos em concreto, vidro e aço surgiam por toda a Alemanha à medida que os sonhos do Fuehrer iam tomando forma. Seu programa de construção continuou de 1933 até 1943. Mas a Alemanha não tinha suficientes trabalhadores ou matéria-prima para até mesmo começar uma fração do projeto idealizado durante aquele curto período de dez anos. Os armamentos alemães ficaram em segundo lugar face ao seu programa de construções até 1944. Em 1938, a França sozinha gastou mais que a Alemanha em armamentos. Em 1939, a Grã-Bretanha gastou mais recursos na R.A.F. que Hermann Goering o fez na Luftwaffe. Em 1940, a França tinha o dobro de modernos tanks que a Alemanha. E essas duas chamadas democracias amantes da paz foram as mais fracas na imponente coalisão de podêres aliada que cercou a Alemanha na mais monstruosa guerra conhecida pela humanidade. Ainda levou mais de 6 anos para eles - E.U.A., U.R.S.S., Grã-Bretanha, França, etc. - esmagarem a pequena Alemanha.

Obviamente, a efetiva construção das "autobahnen", edifícios e cidades eram uma prioridade muito elevada para o Fuehrer. No entanto, até mesmo estes gigantescos projetos deixam de amplamente demonstrar o seu íntimo, que era de longe maior.

Quando Adolf Hitler se filiou ao desconhecido NSDAP como seu sétimo membro, encetou uma campanha para criar uma poderosa máquina política, que cresceu da obscuridade ao movimento que tudo abrangia, tal como podemos ver no fascinante filme "O Triunfo da Vontade". Nada disso teria sido possível sem seu impulso interno. Construir a máquina partidária não foi nenhuma realização fácil. E tinha de se lutar contra inimigos formidáveis. À medida que o braço político do partido cresceu em milhões de membros, o Fuehrer criou numerosas sedes do movimento para que cada membro pudesse cumprir seu destino pessoal. As mais famosas claro eram as S.S., S.A. e a Juventude Hitlerista. Mas havia dúzias de outras organizações bem maiores que mantiveram trabalhadores, fazendeiros, estudantes, etc. Seus membros excederam até mesmo os 2 milhões de homens S.A.. O gènio do Fuehrer era tão grande que virtualmente todo mundo foi incluído na textura nacional, onde eles extraíam satisfação do que eles melhor faziam, isto é, por sua vez, unificava o povo como nenhum povo já o havia sido antes ou desde então.

Não somente Adolf Hitler construiu o mais abrangente movimento político na história mundial - sob as mais desfavoráveis condições imagináveis - mas ele criou também a mais forte economia na Europa. Quando o Fuehrer tomou posse em 30 de janeiro de 1933, a economia alemã estava calcinada, como um navio em chamas. O desemprego estava acima de 25%. O marco alemão estava sem valor. O comércio internacional era impossível devido à depressão judaica mundial é à recusa da Grã-Bretanha em permitir o acesso da Alemanha aos mercados mundiais. Até mesmo uma união aduaneira com a Áustria foi privada e cercada por uma muralha de protecionismo por parte de nações hostis. A Alemanha havia de permanecer como escrava económica para todos os tempos. Para somar insultos à injúria, o judaísmo mundial, com base na cidade de Nova Iorque, declarou guerra à Alemanha Nacionalsocialista. Concla-mou a um boicote mundial contra a Alemanha e utilizou todas as conexões judaicas, económicas e políticas, em âmbito mundial.

O Fuehrer permaneceu impávido face a tarefa, aparentemente sem esperanças. Dentro de horas de assumir a liderança do estado desgovernado, ele iniciou a hercúlea tarefa de construir uma nova economia moribunda numa de vitalidade, força e vigor. Milhões de homens retornaram ao trabalho, as famílias puderam recomeçar. Um verdadeiro espírito de esperança permeou todos os tecidos da vida alemã. Por volta de 1938, a economia germânica era a mais forte da Europa. Ela até mesmo sofreu uma aguda escassez de mão-de-obra. Italianos, poloneses e franceses emigraram em massa para a Alemanha, no intuito de alimentar suas famílias.

Tristemente para a paz mundial, só a Alemanha Nacionalsocialista abriu este caminho lutando para se livrar dos tentáculos judaicos da depressão mundial. Os E.U.A. estavam ainda em suas garras em 7 de dezembro de 1941, e a Inglaterra nunca escapou delas. A guerra só proporcionou o racionamento forçado, e após a guerra, a Inglaterra afundou novamente em sua massiva depressão do pré-guerra menos seu império.

Por mais formidáveis que fossem aquelas realizações - a construção de cidades, do partido e da economia - elas não são a obra-prima da existência do Fuh-rer. Na década de 30, Adolf Hitler repetidamente assegurou aos líderes mundial que o Nacionalsocia-lismo não era artigo de exportação, contrastando com a política internacional judaico-bolchevique, que estava invadindo todas as nações em busca do domínio mundial para seu super-estado marxista-judaico. A Revolução Nacionalsocialista era para a Alemanha somente, e as degeneradas democracias plutocráticas nada tinham a temer. Mas bem que elas temiam!

O ódio judaico contra a ressureição da pureza aria-na culminou numa guerra mundial com a Alemanha Nacionalsocialista lançada contra os clones judaicos. A guerra começou como uma luta nacional com a Alemanha combatendo pela sobrevivência alemã num mundo hostil controlado pelos judeus. Contudo, à medida que a guerra prosseguia, dezenas de milhares de voluntários uniram-se ao estandarte Nacional-socialista para lutar, não apenas pela Alemanha, mas por uma nova ordem mundial. Seu objetivo era criar uma Europa ariana unida.

No início, Hitler foi contra isto. Ele queria apenas que a Alemanha fosse deixada em paz. Mas, uma vez que ficou claro que a guerra não poderia ficar localizada, sua visão evoluiu do ponto de vista alemão para um Pan-Ariano Europeu! A pequenina Alemanha tornar-se-ia o espírito condutor numa Europa Ariana-Nacionalsocialista unida, que teria se extendido de Lisboa até Moscou. Esta Europa tornar-se-ia uma super-potência invencível e um páreo duro para a plutocracia judaica dos E.U.A. e ao bolchevismo judaico da U.R.S.S..

O general Leon Degrelle comandou suas tropas Waffen-S.S. belgas na frente oriental. Eles lutaram pelo lugar da Bélgica numa Europa Pan-Ariana. Hitier tinha-o (e a seus homens) em alta estima. Em 1945, ele disse até mesmo que se tivesse um filho, ele o queria como Leon Degrelle!

Pelo fim da guerra, o Fuehrer tinha construído um movimento europeu verdadeiramente Pan-Ariano que mobilizou centenas de milhares, não apenas para apoiá-la, mas para lutar e verter sangue por ele nas desesperançadas derradeiras horas do Reich. O bun-ker do Fuehrer foi defendido até o final por voluntários extrangeiros das Waffen-S.S.

A incrível façanha de unificar a Europa que tem sido dividida por séculos não foi o único feito coroado do Fuehrer. É também o catalizador que continua a fazer com que o Nacionalsocialismo evolua de um movimento exclusivamente alemão para o fenômeno Pan-Ariano mundial de hoje. Este sonho de uma verdadeira paz mundial arde forte nos corações de milhões de homens brancos ao redor do globo.

Adolf Hitler foi o maior de todos os líderes. Seu legado para nós é sua concepção de paz mundial baseada na nova ordem mundial do Nacionalsocia-lismo Pan-Ariano. Simplesmente colocar todos os homens brancos unidos numa irmandade em que nós compartilharemos os frutos do nosso gênio coletivo, trabalho e superioridade racial.

O dia 20 de abril é o aniversário do nosso amado líder Adolf Hitler. Enquanto cada assinante, partidário e ativista celebram, pergunte-se a si mesmo:

"O que eu deveria estar fazendo para ajudar a completar a obra mais importante do Fuehrer? O que eu posso fazer para assegurar a sobrevivência de meus filhos arianos neste mundo não branco cada vez mais hostil?"

Em memória do sonho de uma raça ariana unida de nosso líder caído Adolf Hitler. -

HEIL HITLER!

- Boletim de Notícias NS #5

Raça é o que nós Achamos Belo

Outrora havia pessoas estranhas na Alemanha. Seu lema que ainda é proclamado em voz alta nos países anglo-saxões judaizados - era: tudo que tiver face humana é igual. Estes estranhos pregadores, transviados lunáticos e mentirosos internacionais deveriam ter marchado conosco quando adentramos os guetos de Lublim e Varsóvia, ou quando capturamos os primeiros prisoneiros negros no oeste! Havia o material de observação certo para estes igualitaristas. Nós teríamos lhes permitido com prazer de mistu-rarem-se livremente mas fileiras de narigudos, de "irmãos" de pés-chatos e de lábios grossos.

Este tipo de pensamento pôde emergir em nosso povo porque muitas pessoas pensavam ser uma coincidência se, dentro de um clã, algunas crianças viessem ao mundo com cabelos negros e outras louros, alguns grandes e outros pequenos, alguns magros e outros gordos. Até mesmo nossos fazendeiros, que no celeiro são excelentes criadores, com conhecimento exato de nossas crias de pequenos animais, pareciam ter visto criações da engenharia genética humana como sem sentido, ou até mesmo imorais.

É uma façanha que o nosso povo até mesmo discuta de raça agora.

Mas nós estamos ainda certamente longe da realização das conseqiiências que disto resultam - para cada um de nós - do conhecimento cientifico.

E é até mesmo mais difícil de reconhecer a elaboração das leis raciais naquelas áreas que se nos afiguram, até agora, removidas do físico/externo, e que residem na área dos sentimentos, desde que alguém encare este mundo de sentimentos como uma coisa muito privativa. E até mesmo que já não se acredite mais na igualdade dos rostos, todavia faz muitos ainda acreditarem que todos os homens são iguais no tocante aos sentimentos tais como amor, ódio, beleza e justiça...

A Virgem em Milhares de Formas

Nós todos sabemos que as pessoas são extremamente honestas quando se julgam despercebidas e estão envolvidas em algo com sentimento muito profundo. Nós encontramos esta condição, por exemplo, nos tempos religiosos quando se dava forma aos sentimentos religiosos em palavras e figuras. Se um artista devoto planejar retratar a Mãe de Deus numa gravura, então ele põe neste trabalho suas mais profundas percepções de dignidade, ternura e beleza, bem como todas aquelas percepções que residem no coração do seu povo e camaradas raciais ao seu redor.

A Cristandade intencionalmente espalhou-se através de muitas terras, povos e raças, e levou consigo o grande conceito da Virgem, Mãe Maria. Quando nós apreciamos as pinturas da Virgem através do mundo, ficamos estupefatos de como este conceito está refletido nos corações de muitas raças do nosso planeta. Aqui na Alemanha, nós vemos as Virgens góticas, louras claras, temas, com olhos azuis; os retratos de negros são pretos como o breu, com cabelos encarapichados e lábios grossos; a Virgem da China tem olhos oblíquos e as maçãs do rosto largas. Mas até mesmo dentro do mesmo continente, tal como na Europa, a sub-raça dominante claramente determina a aparência. Muitos camaradas têm percebido a diferença entre as igrejas na Silésia e as Mães-de-Deus polonesas além da fronteira! A famosa tela da Mãe-de-Deus em Czenstochau é estranha e inescrutavel para nós. E quão simpáticas e maternas as pinturas alemãs da Mãe-de-Deus nos parecem. Como se uma garota do povo, com seu primogênito, estivesse eternizada, e como se esta mãe fosse realmente a mãe de todos nós, "nossas queridas mulheres", como os alemães significativamente chamam Maria.

Muitos Povos - Mas, não Obstante UM Ideal

Viajando entre os povos nós também podemos ver algo mais, que é, aparentemente, o exato oposto: isto é, que um e o mesmo conceito de beleza definitivo emerge entre diferentes povos, até mesmo em diferentes épocas e em níveis consideravelmente diferentes de evolução cultural.

Por exemplo, quando um artefato é hoje escavado do antigo período das Antigas Grécia e Roma a 2000 anos atrás, nós o consideramos como de um dos nossos irmãos, e realmente um dos mais belos, foi esculpido em pedra. Somente uma poucas exteriori-dades parecem-nos estranhas, e nós aceitamos, inquestionavelmente, isto como um ideal. Por centenas de anos, o mundo germânico, carente de realizações comparáveis, honrou a arte grega como um ideal.

Qual é a explicação disto? Alguém nos impingiu este ideal, nô-lo apresentou como tal? Não, isto não é possível neste nível de sentimento. Nós podemos aprender a entender a arte chinesa, mexicana e até mesmo esquimó na base de sua existência, sua cultura e raça, mas somente como criações chinesas, mexicanas e groenlandesas.

A palavra "raça" nos dá a chave para entender. Ainda que nós não tivéssemos algo mais dos artistas gregos - nenhum texto e nada escrito - desses retretos do seu ideal, nós poderíamos ainda saber que eles eram pessoas de sangue nórdico, imigrantes e descendentes desta grande tribo que ainda supre nossa terra com seu sangue.

Foi o contrário com nossos ancestrais germânicos. Suas obras, provavelmente criadas em madeira, têm perecido por longo tempo no úmido solo alemão. Mas aqui falam os mitos, sagas e canções heróicas uma língua clara. Onde quer que beleza e varonili-dade são descritas, lemos palavras como "forte, grande, louro". Mulheres são elogiadas por suas vis-lumbrantes peles brancas, sua ternura e a cor rosada de suas faces. A boa deusa dos germânicos, o antigo ideal de "nossas queridas mulheres", é Bechta, cujo verdadeiro nome significa "clara", "radiante". Até mesmo diminutos detalhes dos conceitos de beleza

são encontrados naqueles antigas canções. A postura, o modo de andar e o comportamento de uma pessoa são claramente descritos, e cada vez é um retrato que definitivamente apeia para nossos própios sentimentos.

A Miscigenação cria Confusão de Sentimentos

Mas não é uma coincidência que tão facilmente alcancemos nossas metas ao pesquisar os ideais racialmente determinados daqueles velhos tempos. Os povos daqueles tempos ainda eram muito homo-gêneos racialmente, acima das leis estamentais que produziam os artistas ou lhes davam tarefa, forma e execução.

Ma mesma medida, entretanto, em que as influências entre povos, juntamente com migrações e levantes políticos, aumentavam, assim se ofuscava a claridade dos seus ideais. Se permanecermos no mudou germânico, por exemplo, nós vemos como mudou o sentimento de século a século, como as noções de beleza mudaram e se opunham umas as outras. No norte da Almanha as canções de amor falam de "olhos azuis" dos amados, ao passo que no sul "marram escuro é a avelá, marram escuro eu sou também" res-soa... Mas há ainda ideais comuns suficientes: tamanho, magreza, passada larga, reserva, comportamento, zêlo, limpeza, confiabilidade.

A penetração destrutiva em nossos sentimentos veio do causador de toda decadência: o judeu. Com ele vem o ideal judaico, a careta de sua raça, nas áreas da alma germânica. Desavergonhado, as mesmas monstruosidades da fantasia judaica são apresentadas em telas, livros e no teatro. Não satisfeito de poder exibí-los publicamente, ele até mesmo exige que eles sejam reconhecidos como norma válida para o povo alemão.

Com espumejante escárnio, tudo que for ancestral é denunciado como "retrógrado" e "mesquinho", e qualquer tentativa de criar algo novo baseado em sentimento sadio é ridicularizado como reacionário e primitivo. "Moderno" é a carta-trunfo em arte, e os ex-pectadores seduzidos podem ou acompanhar o moderno ou dispensá-la. Um "ismo" rapidamente seque outro em arte - expressionismo, cubismo, dadaísmo, e através da ruptura da comporta das inibições nativas corre a inundação de decadência.

Em outros povos, o judeu também avança com seu mundo de sentimento e entroniza as mesmas monstruosidades (porque eles todos vieram dela). E assim ele pode dizer que esta arte judaizada é "internacional". Mas ele somente prova que não há um ideal de beleza nativo percebido da mesma maneira por todos os povos, porque ele simplesmente mostra que todos os judeus em todos os países sentem o mesmo.

Por isso, temos o mesmo fenômeno que, na área físico-racial, e apresentado aos povos no lema de igualdade de tudo com rosto humano. Foi esse o triunfo dos judeus na arte, e este triunfo foi até mesmo mais destrutivo, porque ele solapou conceitos fundamentais.

Por que Casamentos são Fundados com Base en Beleza

Com se fala muito de arte aqui, pode haver muitos leitores que lêem tais coisas somente com ligeiro fastio. Arte, eles imaginam, é uma maneira de exi-bir-se, e para pessoas com suficiente dinheiro, pendurar grandes obras em suas casas.

Se este foi o caso, então o Fiihrer não teria tido de combater o perigo judaico naquelas áreas espirituais tão intensamente.

O que é expressado em arte, a saber, vem do coração e para o coração vai. E é muito decisivo que o que um povo sinta em seu coração seja belo, acima de tudo que aquilo pelo qual o jovem luta como ideal, porque o amor e a seleção de parceiros são direta-mente determinados por aqueles sentimentos.

Retornemos aos tempos antigos e apresentemos homens dos mais diversos povos com representações pictóricas da Virgem. Se quisermos escolher como alemães, nós provavelmente preferiríamos a clara, nobre, figura pura entre as melhores mulheres. Na realidade, o negro escolheria sua mulher negra, todo chinês a sua de olhos oblíquos, o hotentote aquela com discos em forma de placa na boca, e o canibal das ilhas Fuji aquela com dentes afiados.

O mesmo processo ocorre - mas com uma forma mais elegante, mesmo que apenas tão decididamente – ano após ano, entre a juventude do nosso povo, que segue unida e ligada pela vida. Ainda que em certos círculos e nos primeiros tempos a riqueza, a classe e a denominação religosa desempenhassem determinado papel - casamentos são, afinal, ainda feitos no coração.

Mas embora os conceitos de beleza, higidez e hombridade (porque as mulheres também têm um ideal do homen que elas procuram) venha ao coração - tanto o nato ou doutrinado ou desiludido - o coração apaixo-nado não pergunta nada mais. E a desventura segue seu curso. Na rotina diária do casamento e a luta pela vida, aquelas enganosas qualidades, uma vez abraçada pelo coração apaixonado, desaparecem. Os verdadeiros fundamentos determinados pelo sangue de uma pessoa emergem e encontram expressão quotidiana com desejos, tendências e ações que não podem ser suprimidas pela lógica. Por isso a felicidade no casamento é abalada, a esta célula básica de um povo entra em colapso; assim é um povo destruído por dentro, assim triunfa o judeu!

Deixemos claro que nós podemos ter reconhecido este perigo e desarmado seus veiculadores, mas seu veneno ainda flui no corpo do nosso povo e deve ser combatido em milhares de poucas expressões.

E cada S.S. deve ser especialmente cuidadoso para ser alerta aqui - no povo e acima de tudo em seu próprio coração. – W.J.

Adaptado de: SS Leitheft,7º volume, 2- edição.

- Boletim de Notícias NS #6

NSDAP/AO Português