Nazi Lauck NSDAP/AO Portugues Boletim de Noticias NS 109-20 . . .

Nazi Lauck NSDAP/AO

Boletim de Notícias NS

Do NSDAP/AO –

Internet Edição em Português

Número 109/20 – Outono 2001 (112)

BOLETIM DE NOTÍCIAS NS é publicado pelo NSDAP/AO em diversas línguas, incluindo Português, Inglês, Alemão, Húngaro, Holandês, Francês, Sueco, Espanhol e Italiano, numa base irregular. O preço da assinatura por doze números é de US$30.00. (Cada número está disponível em CD para computador por US$10.00.)

As edições Inglesa e Alemã do BOLETIM DE NOTÍCIAS NS são prioritáriamente orgãos internos. Elas suplementam os jornais tabloídes bi-mensais THE NEW ORDER em Inglês e NS KAMPFRUF em Alemão. (O tabloíde Dinamarquês FÆDRELANDET é um projecto conjunto com o DNSB na Dinamarca.)

Todas as principais moedas em circulação são aceites. (Notas apenas - não são aceites moedas e selos) bem como vales postais internacionais (não são aceites cheques pessoais nem cheques "postgiro".)

Escritores e tradutores dispostos a voluntariar a sua assistência são bem vindos.

NSDAP/AO: PO Box 6414, Lincoln, NE 68506 EUA

http://www.nazi-lauck-nsdapao.com

Holocausto II: O Princípio Do Fim

por A.V. Schaerffenberg

Quanto o World Trade Center de Nova Iorque desmoronou perante os olhos de toda a humanidade, não só colapsou o quartel general principal do poderio financeiro Judeu. Também colapsou o seu mais visível símbolo da dominação mundial. Isso, de facto, foi a razão pela qual as torres gémeas foram destruídas. Contudo, o seu falecimento tornou-se inevitável pelo envolvimento parcial dos E.U.A. no Médio Oriente. Principalmente nos últimos meses, os Palestinianos têm sido torturados muito além do limite da resistência. A sua frustração é naturalmente direccionada contra os réus que continuam a financiar os seus tormentadores passado mais de meio século. Os Americanos tornaram-se no povo mais desprezado da face da terra, porque os seus políticos vão para a cama com os Israelitas. Mesmo delegados da Conferência Internacional da África do Sul sobre o Racismo, meras semanas antes dos ataques de Nova Iorque, unanimamente igualaram o Sionismo a racismo.

Os milhares que faleceram em Nova Iorque e Washington, DC foram as vítimas do apoio cego do seu próprio governo a Israel. Mas não foram de modo nenhum as últimas. O incrível sucesso dos ataques sem dúvida alguma encourajou terroristas de todo o mundo a repetir e eclipsar os sucedidos de 11 de Setembro. O World Trade Center era um sínbolo do que foi e do que ainda está por vir. Durante os últimos anos da II Guerra Mundial, quando os Japoneses se defrontaram com a derrota, massas de jovens voluntariaram-se como pilotos suicída. Confrontados com com o mesmo tipo de alternativa, os Árabes não se consideram diferentes dos Americanos que são responsáveis por dezenas de milhares de mortes cívis causadas pelas sanções impostas ao Iraque, no qual já nem o fornecimento de medicamentos básicos está disponível.

Partidários dispostos a dar a sua vida pelas suas convicções têm ao seu dispor um vasto arsenal de terrorismo inimaginável pelos Americanos. O sistema Judeu da América, que só conhece a guerra convencional e sempre foi derrotado em locais como o Vietname e a Somália, deve inevitávelmente perder qualquer guerra flagrante com partidários determinados que lutam só pelos seus próprios termos com armas e estratégias não convencionais. Todos os mísseis guiados e porta aviões Americanos não puderam parar um par de aviões comerciais de abaterem o seu quartel general financeiro.

Quando, por exemplo, foi inventada a primeira metralhadora à pouco mais de 100 anos, era a mais avançada arma concebida até então. Só as nações modernas mais industrializadas eram capazes de a manufacturar. Contudo, algumas décadas mais tarde, a tecnologia da metralhadora tornou-se tão vulgar que cada Hottentot na selva carregava a sua própria Maxim ou Schmeiser. Semelhantemente, apenas à seis décadas, a bomba atómica só podia ser produzida pelas sociedades tecnológicamente mais avançadas. Hoje, até o Paquisrão, de onde poderão ter vindo alguns dos terroristas de Nova Iorque, possui o seu próprio arsenal atómico. A perspectiva horripilante de algum terrorista conduzir pelo centro de uma das maiores cidades Americanas com um engenho nuclear ou uma bomba bacteriológica no porta bagagens do seu carro está além da crença. Mas também, não à muito tempo, estava a possibilidade de aviões de carreira esbarrarem nos arranha céus de Nova Iorque. Podemos esperar tudo isto e mais porque os nossos políticos preferiram testemunhar a aniquilação física dos Estados Unidos do que tão pouco considerar o abandono do apoio a Israel. Tamanha insanidade certamente leva a medonhas consequências!

O vasto golpe, não só da actual destruição, mas o terror infligido na América em Setembro, ultrapassou em muito tudo o que os organizadores poderiam antecipar. Uma cena representativa ocorreu no Congresso dos E.U.A., onde os geralmente adversários democratas e republicanos cairam a choramingar nos braços uns dos outros, cantando heróicamente depois The Star Spangled Banner em desafio aos "cobardes terroristas" que juraram aniquilar. O átrio do Capitólio ainda ecoava com o seu canto, quando uma ameaça de bomba fez com que todos estes corajosos políticos apressarem-se a sair do edifício para o jardim do Capitólio pelas suas vidas. Cenas patéticas da Antiga Glória ondulando inutilmente entre as ruínas do anterior World Trade Center com os seus milhares de mortos soterrados não puderam inspirar nada mais que desespero por um mundo moribundo. Nenhum número de saudações chauvinistas, retórica jingoísta ou votos solenes de reconstruir os edifícios destruídos pode trazer de volta os seus mortos, sacrificados no altar da política de auto derrota da América no Médio Oriente.

Todo o país foi literalmente desligado. Os ataques representaram uma total falha dos serviços de informação dos E.U.A. tanto a nível doméstico como estrangeiro. A histeria em massa que perverteu todos os níveis do governo revelou a sua flagrante fraqueza perante todo o mundo. Uma reacção emocional exagerada e uma histérica caça às bruxas multiplicaram a eficácia do ataque terrorista e revelaram quão frágil a nossa sociedade materialista se tornou. Todo o tráfico aéreo foi cancelado, edíficios de escritórios evacuados por todo o país, navios de guerra apressaram-se para o porto de Nova Iorque. Aviões da força aérea subiram aos céus, voando erróneamente, para este lado e para aquele, procurando um inimigo desaparecido que tinha já cumprido a sua missão horas e dias antes.

Mas toda esta actividade frenética foi em vão e depois do facto. Foi fechar a porta do celeiro depois do cavalo sair – tantos gestos fúteis de impotência. A preocupação nacional de vingança é uma expressão dessa impotência. Em vez de olhar em volta para matar alguém, qualquer um, sobre o qual aliviarem a sua frustração e embaraço, os Americanos fariam melhor em questionar as causas por trás dos bombardeamentos. Porque é que as pessoas odeiam tanto os Estados Unidos que estão dispostas a dar a sua vida para os atacar? O que poderia motivar tantos homens a matarem-se de livre vontade, só podendo levar consigo todos os Americanos que for possível? Para a resposta, só precisamos de olhar para o próprio Departamento de Estado, que fornece os Israelitas com todos os helicópteros armados e as armas necessárias para atormentar o praticamente indefeso povo Palestino. Eles não possuem tanques ou aviões, nenhum super estado bilionário a apoiá-los, abastecendo-os com fornecimentos militares ilimitados. Não possuem nada desse tipo com os quais se defender contra um maléfico inimigo sem remorsos. Tudo o que os Palestinianos têm são as suas próprias vidas, e essas eles estão dispostos a transformar, como um último reduto e única alternativa, em armas suicídas. Agiriam os Americanos de modo diferente, se fossem oprimidos de um modo semelhante?

Quer seja o massacre de Columbine ou um Pentágono bombardeado, a comunicação social têm uma política preparada para cada evento deste tipo, que foi diferente de todos os outros apenas na magnitude da destruição. Tudo deve ser apresentado do ponto de vista – e em vantagem – dos interesses judeus. Isto significa que os indíviduos Judeus e outros não Brancos, principalmente pretos, com emfâse especial em mestiços, são invariavelmente destacados como heróis. Americanos Arianos são simultaneamente mostrados como misturadores raciais entusiastas, que absorvem orgulho patriota em "unir-nos durante esta emergência" com sorridos vistodos e negros adoráveis. "Agora somos todos Americanos!" Ugh! Os propagandistas dos mídia nunca esquecem, sobre qualquer circunstância, que a morte e a destruição são apenas oportunidades para promover a sua agenda principal; nomeadamente, o envenenamento racial da América Branca.

Nem o mais espalhafatoso ou dotado super-estrela da comunicação social podia conceber o claro facto de que o sistema Judeu do dinheiro e do poder, que parecia tão invencível, estava a desmoronar-se literalmente perante os olhos da humanidade. Todos os brados e toques no peito de "viva o patriotismo" não eram mais que uma sobre compensação pela humilhação e derrota experienciada por cada cidadão. Eles sabem que uma mão cheia de homens que preferiram o suicídio ao contínuo mal trato do seu povo concretizaram o que toda a União Soviética foi incapaz de fazer no decorrer de toda a Guerra Fria. Um número insignificante de pessoas deram ao seu colossal opressor um terrivel nariz sangrento. Um "David" Árabe atingiu o "Golias" judeu! O "impensável" aconteceu. E irá acontecer outra vez e outra vez, até os Americanos finalmente compreenderem porque o seu país está a ser atacado. O que é a seguir? Quem será a seguir?

A maioria Gentia de homens e mulheres que morreram na catástrofe de 11 de Setembro foram vítimas de um muito real "Holocausto". As suas mortes criam uma intensa mágoa que a nação não irá esquecer tão depressa. Mas até nós, como povo, compreendermos que foram trágocas oferendas do compromisso incondicional do sistema Judeu com Israel, o seu terrível sacrifício terá sido em vão. Há esperança em tamanha compreensão, contudo. Quando começar a amanhecer no Americano mediano, tão criminosamente desviado e informado, que os atacantes foram motivados pelo auxílio do seu próprio governo a um verdadeiro "estado ladrão", ele irá saber em quem colocar a principal culpa, com consequências revolucionárias para o sistema Judeu.

Para evitar mais ataques é simples: basta abandonar Israel! Mas as agendas Judias devem sempre ter preferência sobre as vidas Arianas. Aquele livro do ódio, o Talmud, é o próprio a admitir, "o melhor dos Gentios merece ser morto". Toda a restante humanidade pode ser destruída, desde que os Judeus façam as coisas à sua maneira. Eles são, afinal de contas, o "Povo Escolhido". Movidos por interesses Judeus em demasiadas guerras, os Americanos têm bombardeado vítimas inocentes por todo o mundo nos últimos oitenta anos. Não devia ser uma surpresa, portanto, que a vez da América chegasse a 11 de Setembro. Os Nova Iorquinos saborearam apenas um pouco do horror incendiário que os seus desviados pais e avós infligiram nos homens cívis, mulheres e crianças de Hamburgo e Dresden à apenas 60 anos.

A maldição das vítimas inocentes de ontem cairam sobre os mortos inocentes de hoje. Os "Libertadores" B-17 e B-24 que libertaram dois milhões de Alemães das suas vidas nos anos de 1940, colocou em movimento uma longa, interligada corrente de eventos que completaram um círculo na baixa de Nova Iorque a 11 de Setembro com a mesma destreza de como os andares do World Trade Center colapsaram em sequência um sobre o outro. O que vai à volta, vem à volta. Até a Bíblia nos diz que "os pecados dos pais são reflectidos nos seus filhos". É a retribuição da lei de ferro da história. Como Abraham Lincoln avisou, "Não podemos escapar à história." As vítimas do World Trade Center certamente não escaparam. Nem escaparemos nós, até nos libertarmos da maldição Judía que contínua a custar tantas vidas Arianas!

Notícias Do Movimento

PROGRAMA DE TELEVISÃO NAZI LANÇADO! O primeiro episódio do programa de acesso na televisão pública, assumidamente Nacional Socialista, PODER BRANCO, foi emitido a 22 de Setembro, 2001 (!!") em St. Louis no canal 18 da meia noite à 1:00 da manhã e em North St. Louis no canal 129. Este programa semanal, de uma hora, é produzido por Joseph C. Keller, M.D., um médico de St. Louis, e patrocinado pelo NSDAP/AO. Excertos deste programa também surgem na página do NSDAP/AO.

Novidade! "TELEVISÃO NAZI NA INTERNET"! Os primeiros programas foram adicionados à página do NSDAP/AO a 9 de Setembro. Em Setembro estavão disponíveis 16 programas em Inglês, Alemão, Francês e Espanhol.

Novo Recorde! Na semana de 17-23 de Agosto, 2001 a página do NSDAP/AO experienciou aproximadamente 100,000 visitas POR DIA! A 23 de Agosto foram puxados 23 vezes mais ficheiros (livros, jogos, música etc.) do que anteriormente. Agradecemos aos Ministro do Interior "Alemão" OTTO SCHILLY, porque fez uma ENORME contribuição para isto, mesmo que – presumidamente – completamente intencional!… De acordo com o jornal Alemão Die Welt am Sonntag de 5 de Agosto, 2001 (112), o Ministro Alemão do Interior Schily deseja discutir uma possível acção cívil legal contra páginas NS da internet baseadas nos E.U.A. com o o governo dos E.U.A. no princípio de Setembro, com base no seu "efeito na Alemanha". Como protesto a esta impertinente ameça à liberdade de expressão – e contra a soberania dos E.U.A. – um activista da liberdade de expressão registou o endereço bundesinnenministerium.com (não confundir com o da página do Ministério do Interior Alemão no endereço bundesinnenministerium.de) e reencaminhou-a para a página nazi-lauck.nsdapao.com…Bundesinnenmini-sterium.com atinge um nervo! "Já estabelecemos contacto com uma renomada firma de advogados nos EUA. Se for necessário, também apelaremos à Embaixad Alemã em Washington." – Dirk Inger portavoz do Ministério do Interior (Alemão), ao jornal Alemão Berliner Morgenpost a 26 de Agosto, 2001 (112). No dia 3 de Setembro a televisão Alemã (Westdeutscher Rundfunk) também emitiu a mesma reportagem.

No dia 18 de Agosto, 2001, mil camaradas participaram na massa em memória a Hess em Wundsiedel, na Bavária. No dia 1 de Setembro, 2000 camaradas marcharam em Leipzig. Congratulamo-los!

Novidade! – Demonstra a tua opinião através de tons e imagens NS para telemóveis! Cansado de todos os desenhos, comuns, compactuantes com o sistema? Dá um pontapé no sistema Judeu com estes completamente "politicamente incorrectos" e realmente únicos tons de toque e imagens para o teu telemóvel! Retira gratuitamente o teu desenho favorito hoje e tranforma o teu telemóvel numa arma de propaganda! Disponível para download desde 12 de Agosto, 2001 (112).

Novo Jogo De Computador SA-MANN, durante a primeira semana (12-19 de Agosto, 2001) foram feitos mais de 1000 downloads! Agradecemos ao ciber activista que criou este jogo!

A Comunicação Social Búlgara (imprensa e televisão) relataram no início de Agosto a existência da página do NSDAP/AO e a sua aliada página B&H Búlgara. (Foram efectuadas rusgas a 19 de Maio na Bulgária coma intenção de destruir a página bhbulgaria.com. Contudo, os inimigos da liberdade de expressão falharam em concretizá-lo.)

Lista de Preços

NSDAP/AO Português