Nazi Lauck NSDAP/AO Portugues Boletim de Noticias NS 109-20 . . .

Nazi Lauck NSDAP/AO

Boletim de Notícias NS

Do NSDAP/AO –

Internet Edição em Português

Número 114/21 – Inverno 2003 (114)

Wolfgang Willrich – Artista Ariano

Um dos mais famosos artistas do Terceiro foi Wolfgang Willrich. Nascido em 31 de Março de 1897, originário de uma longa linha de camponeses, Willrich despertou para a arte ainda muito jovem. Quando ele foi para a Faculdade em Berlin, em 1915, ele conheceu a tendência decadente em que a arte se apresentava. Em 1916 ele se alistou e serviu como não combatente no 251º Regimento de Infantaria.. Ele foi condecorado com A Cruz de Ferro, na Frente Oeste.

Então, quando ele se tornou um prisioneiro de guerra, ele gastava muito tempo desenhando Seus primeiros desenhos foram publicados pela Cruz Vermelha internacional, em uma revista para prisioneiros de guerra.

Depois de sua libertação, Willrich voltou aos estudos. Embora ele tenha ingressado na Ludendorff’s Tannenberg Association, diferenças com Mathilde von Ludendorff , forçaram-no a sair. Mas ele ainda publicava seus trabalhos no jornal da Associação.

Willrich superou-se retratando tipos raciais nórdicos. Em 1933-1934 ele era muito ativo no Ministério da Cultura, mas ficava fora oficialmente, devido a sua ligação com o círculo Ludendorff. Após isso R. Walter Darre o tornou um empregado independente e ele continuou a desenhar seus camponeses Nórdicos, o que ele fez com muito entusiasmo!

Muitos de seus desenhos apareceram em cartazes e cartões postais, sendo amplamente divulgados. Mas ele permaneceu independente. Ele declinou da oferta de Heinrich Himmler’s para se tornar um membro honorário da SS. De fato, ele nunca se filiou ao NSDAP. Ironicamente, ele considerava como muito moderada a oposição do Terceiro Reich, à arte degenerada! Junto com Walter Hansen e Graf Klaus von Baudissin, ele ajudou a organizar a Exibição de Arte Degenerada de Munique em 1937.

Em 1939, ele pediu para se enviado ao front como artista combatente. Depois da Polônia, ele foi à França, Noruega, Finlãndia, Sicília e Rússia. Muitos líderes militares famosos foram retratados por ele. Mais tarde ele retratou muitos portadores da Cruz dos Cavaleiros. No final de 1943 ele retornou a Berlin onde continuou seu trabalho.

Seus últimos trabalhos foram publicados na Argentina, após a Guerra.Ele morreu em 18 de Outubro de 1948, de câncer.

Força através da Beleza!

Nesta era de decadência e degeneração, o senso e a sensibilidade de cada ariano decente são vilipendiadas o tempo todo, a cada curto espaço de tempo em um único dia. Nossa alma chora por sustentação espiritual. A beleza criada pelos artistas arianos ajuda a suprir essa necessidade espiritual, recarrega nossa moral e nos lembra da grandeza de nossa raça.

Por muitos anos eu esperei o dia em que nossos recursos financeiros e tecnológicos nos possibilitariam produzir e distribuir verdadeira arte ariana entre nossos camaradas e outros de nossa raça!Finalmente o dia chegou! No inicio de junho nós adicionamos em torno de 80 trabalhos de arte arianos, coloridos a nosso acervo. Voce agora tem acesso a eles! Aqui estão as maneiras de vê-los: Primeiro, se você tiver acesso a Internet, simplesmente visite nosso Web Site em nazi-lauck-nsdapao.com . Segundo, você pode adquirir cópias dos pôsteres – tamanho A-3, aproximadamente.Terceiro, muitos dos trabalhos de arte são mostrados em nossos (veja#818-A, #818-B e #839 na lista de preços).

Temos muitas dessas obras de arte apresentadas nesta publicação – inclusive uma lista – mas, se você quiser, pode pedir catálogos para a aquisição, com várias ilustrações > Apenas escreva: NSDAP/AO, PO Box 6414, Lincoln NE 68506, USA.

O encontro do "Estafeta Schlag " com Adolf Hitler

Os dois jovens tenentes retornavam alegremente para suas Companhias, a primeira e a oitava. A conferencia dos Oficiais havia terminado.Amanhã seria novamente um dia quente. Hoje o Tenente Helms,o mais jovem dos dois, recebeu um elogio especial do comandante do regimento. Seu Pelotão havia executado uma pequena obra–prima durante uma manobra. Amanha o Tenente Frhr. Von Bieberstein tentaria ultrapassá-lo com seus homens.

Helms e Bieberstein eram amigos.Eles se ajudavam em todas as situações, e possuem muitas boas lembranças em sua mente. Mas ainda assim, nenhum dos dois se contentaria em ser o segundo melhor. Agora eles voltavam para seus acampamentos, com o brilho vermelho do sol refletindo nas florestas de pinho. O dia 16 de Agosto de 1938 estava chegando ao seu final.

O comandante do batalhão havia conversado longamente com Helms, após a conferencia dos oficiais.O primeiro pelotão iria ser retirado da manobra do dia seguinte. Os homens haviam feito bem seu trabalho. Eles receberiam uma tarefa honorável. A visita do Supremo Comandante era esperada.. Adolf Hitler viria. Ele era aguardado aqui no acampamento do regimento.Um grande dia estava chegando.Agora todos perceberam, de repente, que tudo valera a pena, a eterna marcha, o "ordinário, marche!", as centenas de gotas de suor, derramadas no chão arenoso da fronteira.. Rápido como o vento, as novidades se espalhavam pelos campos de manobra até o ultimo homem. E o que tinha sido apenas uma esperança nos escritórios superiores, se tornava uma certeza nas barracas dos soldados!

Os homens do pelotão de Helms seriam as ordenanças, quando os convidados surgissem no alto da floresta - nas mesas simples onde, normalmente Schmittke escreve suas cartas de domingo para sua Minna e onde o alto Emil abre o ultimo pacote, enviado por sua mãe- os convidados importantes, o Fuhrer e sua comitiva, o comandante do regimento – e certamente também o comandante do batalhão e seu Helms, o tenente do primeiro pelotão- serviriam a refeição, preparada na cozinha do acampamento .

"Eu realmente invejo você!" grita Bieberstein para o feliz Helms. "Se eu pudesse apenas ver o Fuhrer de perto, pudesse ouvi-lo falar aos que estão ao redor dele e saber como ele ri e se diverte.Vê-lo de longe, marchando ou passando na tela do cinema, não é o bastante pra mim". Então ele relata a Helms como, sendo um garoto de uma remota propriedade no leste, ele teria apenas ouvido falar sobre esse maravilhoso homem por jornais e histórias dos mais velhos; mas não havia tido a experiência de admirá-lo realmente até ingressar na RAD e , posteriormente, na escola da Infantaria.Pessoas jovens, o amam diferentemente, seguem-no mais apaixonadamente e acreditam nele mais fervorosamente". Desta maneira ele terminou sua história e olhou, longamente para Helms, em cujo peito, brilhava a medalha de ouro da Juventude Hitlerista, e que amanha certamente teria o dia mais feliz de sua vida. Mas onde ele estaria? Certamente em algum lugar entre a sombra dos pinheiros, longe em alguma manobra.

Já estava escuro, quando Bieberstein entrou bruscamente na barraca de Helms, arrastando o para a noite, confiando-lhe uma idéia e um pedido.O que os dois sussurram, na noite, em frente às barracas não pode ser compreendido.Apenas ouviram Helms rindo, pois Bieberstein sortudo, teria dois dias de folga, e gostaria que aproveitasse.

Realmente, Adolf Hitler veio no dia seguinte. Coberto de pó, ele e sua comitiva emergiram do terreno. A inspeção havia sido minuciosa.

O estafeta Hahn do primeiro pelotão, contou ao estafeta Schäfer, que era mais fácil servir aqui como ordenança, do que na areia com seu mordaz chefe. Helms pensou no calor e nos pés feridos, seria bom que os deuses da Prússia o ajudassem.

"O novo companheiro ali em cima ", Schäfer apontou para o grande estafeta loiro que tinha sido designado para o pelotão de Helms, por hoje,"tudo certo – apenas mais um serviço, se o Fuhrer visitar nossa cozinha." "Talvez ele deva ser o garçom chefe do Hotel Kaiserhof", Hahn observou rindo, "esse bonito companheiro deve ser de lá. Tenho certeza que o vi antes." Agora os camaradas scarneavam Hahn, dizendo que ele deveria ter vivido no Kaiserhof, e passado por algo lá, entre outras coisas, até que o Sargento Euler mandou todos eles correndo para for a da área procurar alguma coisa "verde" para as mesas.

Nas mesas de Madeira na extremidade da floresta, em frente ao Fuhrer, podia-se ver, entre outros o Reichsführer-SS Heinrich Himmler, o General Superior Keitel, Obergruppenführer Brückner e o chefe da imprensa do Reich Dr. Dietrich. Helms e seus homens reconheceram muitos rostos, mas seus olhos encararam a um homem que realmente gostou dos feijões preparados pela cozinha do acampamento, que riu cordialmente quando a pessoa do seu lado falou-lhe alguma coisa, que proferiu algum amável elogio ao comandante do regimento sobre a manobra, e que estava realmente orgulhoso e feliz com o que viu e experimentou entre seus soldados, do início da manhã até agora, quando o sol estava em seu zênite.

O recém nomeado estafeta parecia encantado.Ele energicamente cumpriu sua tarefa. Ele estava feliz de servir o prato com os feijões brancos para o Fuhrer, tendo este amigavelmente acenado coma cabeça, lhe agradecendo.O tenente Helms observou isto.Um sorriso esperto se formou na boca dele, quando ele reconheceu esse estafeta. Aqui havia trabalho para as ordenanças; os pratos retornavam á cozinha do acampamento duas, sim três vezes e eles sempre voltavam cheios de novo.

"Aceite mais, meu Führer", disse o general, e o estafeta já estava a postos ao lado Führer, pronto para encher seu prato novamente. O Führer agradeceu. Mas Heinrich Himmler reparou no grande ariano que os servia. O estafeta tinha a face de um líder. Ele precisa se tornar um soldado, pensou o Reichsfhrer-SS . Sangue de camponês flui em suas veias, homem esplendido do tipo que se encontra pelos campos da Alemanha em uniforme cinza de campo.

"Qual é seu nome", o Reichsführer-SS pergunta ao estafeta e faz com que os outros homens virem-se em direção ao grande ordenança de face bronzeada e olhos azuis

O Führer também olha.

Tornar-se o centro das atenções para estes importantes convidados, obviamente fez o estafeta ficar inseguro.Ele estava pronto para servir o Führer com feijões brancos, mas dizer o nome...teria ele esquecido isso?Endireitando-se, posição de sentido, calcanhares batidos: "Estafeta Schlag, Reichsführer-SS", finalmente veio a resposta. Heinrich Himmler atentamente notou isso: "Corporal Schlag, 8.a Companhia, Regimento de Infantaria…" Alguém poderia verificar onde esse homem serviu, talvez no leste". O Fuhrer estava alegre.Tenente Helms moveu-se incomodamente de um lado para o outro no acento e mordeu seu lábio.

Mas o estafeta Schlag, o ordenança nomeado, tinha desaparecido rapidamente – como se ele tivesse com medo de ser observado e questionado.

Semanas passaram. Ninguém mais pensou nos feijões brancos da cozinha de campo na extremidade da floresta e nas mesas de madeira na terra arenosa da fronteira. Então um dia uma carta da Chancelaria de Reich chegou. O cronista desta história verdadeira não leu isto, mas deveria estar escrito isto: Havia muito pó na 8a Companhia do 2o Batalhão. O tenente Frhr. von Bieberstein havia registrado uma reclamação – uma reclamação contra ele mesmo. Então os comandantes do regimento e do batalhão questionaram-no e ao tenente Helms..Sua ação seria punida, especialmente a do tenente Von Bieberstein. O céu parecia que ia cair sobre a cabeça deste tenente de Brandenburg . Realmente era coisa baixa, essa mentira, dar nome falso na frente do Supremo Comandante e ainda se rebaixar ao posto de corporal. O regulamento do exercito alemão, suas leis de ferro, exigiam uma punição severa para isso. O que este jovem tenente, cheio de amor e admiração por seu Fuhrer fez para estar perto de seu líder, se fazendo passar por um Estafeta e apresentando-se com um nome falso,– uma palavra a que ele se apegou como a um salva-vidas para não ser descoberto– tudo isso poderia ser humanamente compreensível se fosse feito pelo Príncipe de Hamburgo, mas as leis de ferro do exercito Alemão, escritas em tábuas de tradição e consagradas com sangue santo, precisam ser mais fortes que o coração humano.

Apenas um poderia perdoar: A grande figura que, ao mesmo tempo era sobre-humana e extremamente humana, séculos a frente de seu tempo, tendo ele próprio experimentado as mais duras leis e depois criado leis que estabeleceram uma nova ordem. E um, em nome de todos, quis encontrar o gênio de nossa cultura, para agradece-lo pelo dever cumprido. Aqui a cultura encontrou a cultura. Neste Estafeta Schlag a nação encontrou o Fuhrer com o coração transbordante e com a expressão simples de gratidão e alegria. O Führer, porém riu alto, quando ele ouviu a história sobre o estafeta Schlag, o grande tenente louro com olhos azuis e pele bronzeada.Para ele isso ainda não havia terminado. O ajudante da Wehrmacht foi chamado...

Não muito depois, um pacote chegou até a 8a companhia.Era para tenente Frhr. von Bieberstein. Helms o ajudou a abrir.Alguma coisa estava embebida em fina colônia.Sua impaciência cresceu. Então o segredo se desvendou: o sol brilhou sobre noites de consciência pesada. A voz de um homem emocionado tremia, enquanto ele lia a frase na armação prateada sob a foto do Fuhrer: "Para meu querido Tenente Frhr. von Bieberstein, pseudônimo Estafeta Schlag em camaradagem – Adolf Hitler."

O texto acima e parte do livro #563 SS GUIDELINES FOR HITLER’S BIRTHDAY, $10.00.

Cartas para o Editor

Adesivos da Swastika na capital do Reich

Eu encontrei vosso adesivo, alguns dias, atrás na parede de uma casa. Eu estou interessado no seu trabalho. Eu odeio os judeus que vivem aqui como parasitas. Eles usam o dinheiro de nosso trabalho para suas guerras. Eu gostaria de receber adesivos contra os judeus , para fazer nossa pátria livre deles. Eu acho que os piores judeus estão nos EUA. - Berlin

 

Novo Estado NS!

Eu recebi o ultimo número de vosso jornal. Ele está excelente!Nós somos um moderno grupo de ativistas, lutando contra o domínio global judaico. Nós vivemos e lutamos pelo dia em que nosso inimigo será derrotado.Então nós iremos criar um novo estado NS. Até lá, a luta continua! Sieg Heil! – Belgrade, Serbia

 

Jovem, mas Determinado!

Embora eu ainda não tenha 17 e tenha que me preparar para a maioridade no ano que vem, eu irei lutar, mesmo sem esses que caiam vitimas do materialismo. – Leipzig

 

Agradáveis Recordações de Um Camarada da SS

Escrevo-lhe dois dias antes do aniversário do Fuhrer. Eu tenho agora 82. Eu nunca irei esquecer minha dupla viagem através da Alemanha em 1938 e 1939 de Aachen a Vienna. Então tudo era realizado pelo coração – em resumo social e genuíno . Em 1941 eu trabalhei na Robert Bosch em Berlin. Em 1942 eu me alistei nas Waffen SS tornando-me um oficial não-comissionado em 1943. A cada dia eu admirava mais a coragem e camaradagem dos Heróis Alemães! - Flandres

 

Publicidade Gratuita

A TV Húngara apresentou um programa de uma hora sobre skinheads Húngaros, no início de junho, sempre mostrando o endereço da NSDAP/! Eu não sabia que vocês tinham conseguido tempo na TV húngara, vocês deviam ter me contado antes!! Heil Hitler! – California

Editor: Uma entrevista com o camarada Lauck foi transmitida para muitas cidades nos EUA, em Maio.

 

Protestos massivos contra a Guerra no Iraque

Realmente, os protestos foram muito grandes por toda a Europa. Toda grande cidade tece demonstrações com dezenas de centenas de participantes. Bush e Blair foram qualificados como criminosos de Guerra. No mundo todo 99% dos especialistas em lei internacional dizem que essa é uma guerra de agressão criminosa. – Áustria

Lista de Preços

NSDAP/AO Português